Mostrando postagens com marcador carta. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador carta. Mostrar todas as postagens

terça-feira, maio 03, 2016

Carta do adeus


Google Images - inspiração 


Olha meu camarada, eu vou te dizer que não é fácil. Na verdade ninguém disse que seria. Nós sabíamos no beco sem saída que estávamos nos metendo quando resolvemos nos olhar de modo diferente. É que aquela conversa gostosa antes de dormir já estava ficando forçada. O assunto não fluía mais. E tinha aquele medo de não conversarmos mais que estava em jogo. A gente já tinha se perdido no caminho e não sabíamos mais como voltar. Todos os dias eu ficava me perguntando e pedindo forças pra ficar remando contra a maré. Mas quer saber? Não resolve. Eu sei que esse papo de gente good vibes parece bobagem, mas olha, o vento trás o que tem que trazer. Eu sei que essa é uma das minhas frases mais ditas nos últimos tempos, mas é como em "let it be". Forçar pra quê? Aproveita a vida e deixa rolar. A situação nunca foi fácil. As desculpas já estavam ficando esfarrapadas e a cada três minutos de música parecia que era alguma indireta pra resolvermos o nosso oito ou oitenta. É que ninguém gosta de situação mal resolvida, mas a vida pede que em algumas situações saibamos dançar conforme a batida e se envolver às vezes se torna inevitável. A pior parte sempre é a despedida. Mas como uma despedida nada comum eu te desejo sorte. Sorte na vida e fé na caminhada. O resto fé em Deus que o que for seu acaba voltando pra você de algum jeito, mas como dizia Luna Lovegood em Harry Potter: "às vezes nem sempre da forma que esperamos..."

Com amor, 
eu!



quarta-feira, janeiro 27, 2016

Uma das 365 cartas

Foi em um dado momento de final de janeiro quando eu me esbarrei com você na rua. Tarde de verão, exatos quatro dias para o fim do mês. Temperatura térmica? 30º C, mas quando te vi senti pelo menos uns 50ºC. O sangue começou a circular rápido e eu pude sentir um certo embrulho no estômago. Eu tava saindo do teatro em direção a barraquinha de churros quando uma voz conhecida me fez parar no meio do caminho. Você nem gostava de teatro. Não acredito que assistira justo ao Holoclownsto para dizer que foi pura coincidência do destino. Você sabia que essa era minha peça favorita, por ter sido ela que me fez apaixonar por teatro, e todas as vezes em que algum grupo a trazia pra cidade eu à assistia.

Sabe... Outro dia chegou um CD na portaria, dizendo que era de um anônimo, com as minhas faixas favoritas de Red Hot Chili Peppers, eu amo essa banda e você sabia. Sabia que o CD era seu e tive vontade de ir agradecer, mas lembrei do bilhete anônimo e resolvi arriscar entrar no seu jogo. Passei direto por você, que fingiu me ignorar e sorrir ao lado de outra garota. Cheguei até o churros, atravessei de volta e continuei meu caminho.

A peça havia acabado, mas a verdade a peça que acabou não foi a do teatro. O nosso jogo já havia acabado. Não havia como apertar reset e continuar. Eu não sinto muito porque eu fiz de tudo pra esse relacionamento da certo. O fato de eu querer voltar atrás com certeza não foi o suficiente pra fazer as coisas darem certo.

Mas sabe, eu acredito na força do pensamento e no destino. Acredito também que você nunca vai achar alguém que amou você tanto quanto eu. A cada dia que se passar sua consciência vai sentir falta dos meus "bons dias" e aí sim, eu sinto muito. Sinto muito porque não foi falta de aviso. Eu sabia que isso aconteceria se não tomássemos uma rápida providência.  Relacionamento vai-e-vem acabam dessa forma. E acredite não foi isso que eu sonhei pra gente.




Com amor, 
eu! 

domingo, dezembro 13, 2015

Escrevi, mas não mandei

Era dezembro. Verão no estilo Rio 40º C. Mas, não era Rio. Era Minas. Havia um parque, um relógio central de cidade pequena divulgando a Coca Cola. Cabelo solto, pensamento ao longe os ventos a leste. Eu não sabia como ou porque, mas eu tinha me encaixado em um lugar. Num lugar que era pra chamar de meu. Não precisava ser completada porque estava completa. E não havia ninguém que poderia fazer com que eu me sentisse mais radiante possível.

12 badaladas. O tempo exato no tal relógio central, marcando que eu passei mais um dia sem você. Confesso que passei por aquele processo de adaptação. Como numa clínica pra desapego, mas aos poucos eu fui percebendo que nada era como naqueles dramas de "minha-vida-não-faz-sentido-sem-você". Na verdade agora tudo faz; Consigo ver claramente o quão ciumento e possessivo você era. Mas também sei que se o ciúme acabar o amor também acaba.

Hoje você curtiu minha foto. Confesso que apesar de estar muito bem, eu sinto sua falta. Uma falta que eu não sei se você completará mais. Falta do que éramos e do que tínhamos.  O risco de ter ficado com você por ficar valeu a pena quando eu vi que não eram só ficadas. Era uma guerra fria. Eu tinha vontade de matar você, mas quando você se foi, eu senti... Eu senti tanto que dói até hoje.

Havia magia. Uma magia diferente que não se sabe se é destino ou coisa de outra vida. Você chegou pra colorir meu caminho preto e branco que estava sem rumo e me ajudou a chegar rente ao mar e não afundar. Foi como a chuva na seca do sertão. Eu não sei se fiz tão bem pra você assim. Mas acabou.

Entre um sorriso maroto e outro eu sei que valeu a pena ter tido amores passados pra te encontrar.  Como a tampa e a panela ou a cama e o colchão se completa, eu completei você e você me completou. Ser feliz por completo é ser feliz sozinho. Felicidade em conjunto é passageira. E se foi. Se esvaiu como poeira no mar. A verdade é que términos de namoros não são tão ruins. Términos fazem com que nos tornamos fortes e vejamos o que falta em nós. Términos, trás amor-próprio e fé. Fé de que em algum momento o resto vai se encaixar e eu ainda vou te reencontrar, seja em qualquer lugar.

segunda-feira, novembro 09, 2015

Querido ex-amor

Dizer o que eu sei que faz sentido é concordar com a frase: "só sei que nada sei". Sentido é algo tão aleatório quanto a vida que você quem faz. Não tem como tentar esquecer o que aconteceu tentando mudar o destino ou a rota da sua mente, sua mente te acompanha mesmo que você não acredite nisso. As lembranças vão te rodear por toda a vida e quando você menos perceber está rodeado por todas elas novamente, sentido saudade daquela época que poderia viver sobre o que não viveu.

Se tem uma coisa que aprendi no ano de 2015 sobre tudo que eu li, escrevi e assisti é que não adianta fugir do amor e muito menos viver de passado. O passado te abandona na hora certa e você vai encontrar o amor por um milésimo de distração e quando isso acontecer, você percebe que isso só aconteceu quando você se aceitou. Como eu posso gostar de alguém se ainda não aprendi a me amar? 

A verdade é que o TIC-TAC do relógio antigo, dando aquele ar retrô na sua velha de estar, faz com que você apenas perceba o passar das horas, mas não sinta o tempo passar. E quer saber? As pessoas só passam a existir a partir desse momento, porque é aí, que se encontram no mundo. Correm atrás de quem amam, fazem de tudo pra passar perto da família e viver cada segundo que foi desperdiçado.

Eu sei que você quer viver uma loucura de amor antes  de se encontrar. Que quer passar horas andando pelas ruas conversando e sentir como se o mundo sumisse no momento em que se encontraram e sorrir a cada SMS enviado por ele te chamando pra sair ver o sinal trocar as luzes. É pensar que o amor é uma forma vida é um erro que a maioria das pessoas cometem porque o amor acontece. Você não o procura! Dessa vez não é como naquela frase que "quem procura acha", dessa vez é real.

É ele existe tão escondido dentro de nós que é por isso que quando aparece transborda a alma e sabe o que eu descobri? Que tudo o que eu acreditava que seria amar foi uma grande ilusãozinha da minha cabeça adolescente e talvez eu tenha demorado um tempo tanto quanto demorado pra perceber isso. É que eu devo ter amado na vida umas três pessoas e foram as três que me fizeram sentir borboletas no estômago quando passassem. Essa besteira de querer atravessar o mundo não acontece na vida real. Mas acontece de forma que você sinta especial e única. Num momento só seu, nesses momentos você deve descobrir que o que está acontecendo é algo mágico e descobrir que se aceitar ali, pode ser a melhor maneira da outra pessoa te aceitar também. 

Adeus querido ex-amor. 


sábado, fevereiro 28, 2015

Caríssimo ex amor

Talvez devesse informar: quando você se livra de algo que deixa um peso nas costas a sensação deveria ser boa e não trazer nostalgia algumas vezes. Pois é, olha só. Sabe aquelas voltas que o mundo dá? Ele contornou e te fez ficar sem chão. Te fez ficar sem chão quando você lembrou daquela sensação de segurança que jogou fora por algumas noitadas. Daquele abraço que era um porto seguro que você trocou por algumas bebidas com os amigos em botecos da esquina. Daquele beijo na testa que você deixou pra trás quando decidiu que isso tudo não valia apena mais.

É estranho, mas eu fico só esperando o dia em que vamos nos esbarrar na rua de novo. Em cada esquina  na correria da vida, ainda acho um tempo pra relembrar de como éramos felizes e chego a duvidar se isso realmente acontecia porque, afinal, se éramos felizes, por que acabou? O ponto é que eu era feliz. E não quero nem saber de como você era em relação a "nós". Se é que existia nós meu caro. Talvez você não saiba, mas eu estou bem. Tenho saudade é óbvio, mas a vida segue. Sei que foi melhor que estivéssemos separados, o destino não queria nós dois juntos por algum motivo e olha acredito que eu tenho a resposta pra isso.

A gente combinava demais, e é isso que eu sinto mais falta quando passo em frente aos locais em que te via há alguns anos diariamente. É esse é o erro. Não havia o que completar porque já transbordava. Transbordava tanto que vazava e queimava quando fervia. Eu precisava me despedir e eu já perdi as contas das vezes em que tentei te escrever algo e rasguei antes mesmo de terminar. Das músicas que me lembravam de você que me faziam ter uma vontade louca de te falar que eu estava com saudade.

Olha cara, eu sinto muito se não fui o suficiente pra te fazer feliz. Eu me esforcei demais e aí está o meu erro. Sabe aquela sorte que eu desejava pra nós? Eu não te desejo isso mais, também não desejo o seu mal, mas eu espero que você me veja e se arrependa por cada gota de lágrima que me fez derramar por sua causa e que volte cada palavra imbecil que tenha dito a meu respeito e sabe aqueles 360º que o mundo dá? Pois é, é a minha vez de ter um saldo positivo sobre ela.