Relatos sobre nós/mim

Inspiração tumbrl


Chega um dia em que você assume pra si mesmo que ouvir sertanejo não é só ouvir porque tá com dor de cotovelo, mas porque gosta da batida viciante da música. Chega aquela faixa do Cristiano Araújo que você ri lembrando as histórias, mas não chora porque sabe que foi o melhor pros dois. Chega um dia em que você diz pra si mesmo que o que passou, passou e o que continuou em si mesmo foi o amor próprio. Que se foda ser a menina boazinha que aceita tudo calada e que chora com o rosto quase que sufocado no travesseiro escondido pra ninguém ver que você tá sofrendo porque o nosso amor acabou. Meu caro, só pra você saber isso já estava no meu plano há tempos. Na verdade, me desculpem pelo palavreado acima, mas aceitar ser subordinada por amor nunca me fez bem.

O pior de o fim de uma relação duradoura é colocar numa gaveta bem funda de si e fechar com algo que não seja só chave (porque chave mais tarde pode ser destrancada), as lembranças de algo que nem chegaram acontecer, ou sonhos que você teve em uma noite de verão (salve Shakespeare) , ou ainda aquela sensação que dava nó no estômago quando o celular tocava e vinha aquele "oi" no Whatsapp. É, não vai ser fácil, afinal ninguém disse que seria. Eu sabia muito bem no que eu tava me metendo. É aquele risco que a gente corre por gostar tanto de alguém. O risco é de dar certo. O risco é de você sofrer por algo que não deu. Mas acredito que seja um risco que vale a pena se correr, porque se não, do que lhe adianta passar por anos procurando ?

Freedom. Liberdade é a palavra. Não adianta ficar colocando desculpas, ou procurando nos dicionários o que significa amor porque, a sensação que sentimos pode vir por vezes em situações aleatórias por pessoas diferentes até porque " você vai rir sem perceber, felicidade é só questão de ser." Um dia, o sol vai te acordar na janela ampla de vidro, dizendo que um novo dia nasceu pra ser seu e quando eu menos perceber, foi tão fácil te esquecer. 

Comentários

Postagens mais visitadas